#Resenha - Post Mortem - Patricia Cornwell - Maluca Por Livros
Editora Paralela

#Resenha - Post Mortem - Patricia Cornwell



Post Mortem
Patricia Cornwell
Editora Paralela


    Post Mortem primeiro livro que deu origem a Série Scarpetta da escritora Patricia Cornwell lançado pela Editora Paralela. Post Mortem é um livro policial, que foge um pouco do que estamos acostumados a ver geralmente vemos a história do ponto de vista de quem investiga os assassinatos, como policias e detetives. Mas nesse vemos a história do ponto de vista da Médica –Legista, Doutora Kay Scarpetta, o que achei já um diferencial da série, claro que ela conta com a ajuda dos demais, mas boa parte do livro vemos do seu ponto de vista.
Em post mortem conhecemos Kay Scarpetta uma média legista muito conhecida na Virgínia. E está diante de um assassino em série que vem assombrando Richmond e deixando a todos preocupados com o alto índice de assassinatos na cidade.
O livro já começa com Kay atendendo a um chamado de um policial sobre a cena de um crime. Kay vai até a cena do crime e descobre que mais um assassinato contra mulheres aconteceu, já é o terceiro assassinato que acontece em Richmond, sempre nas sextas feiras na calada da noite. Mulheres são brutalmente assassinadas por um Serial Killer que não deixa nenhuma pista para os policiais.
A doutora Kay Scarpetta terá de trabalhar arduamente junto de sua equipe para descobrir quem é esse assassino, e a única “pista” que ela tem, é um pó brilhante que é encontrado nas vítimas. Como se não bastasse Kay ainda está sofrendo uma sabotagem, alguém está tentando sabotar a investigação e a prejudicar.
A investigação está sob responsabilidade do tenente Pete Marino, um homem muito engraçado e que tira Kay do sério. Marino é um homem orgulhoso e acha que está sempre certo com suas suposições. Mas muito dedicado ao seu trabalho. Não mede esforços para ajudar.
Kay se junta a Pete Marino para descobrir quem é o assassino. A vítima recente é Lori Petersen e foi encontrada morta pelo seu marido no quarto do casal. E diante de mais um caso, eles começam a pensar se as outras vítimas tem algo em comum que atrai o assassino.
Kay é uma mulher independente e bem vivida, conhecemos também um pouco de sua vida pessoal. De uma família um pouco complicada, com uma irmã escritora que não da a mínima para sua própria filha, e cabe a Kay ficar com sua sobrinha, não que isso seja um estorvo para ela, mas a vida de Kay é imprevisível, passa horas no trabalho e sai sem saber a hora que irá voltar. Deixando sozinha do mesmo jeito. Apesar de ter um certo romance no livro isso não é o foco do livro, já que Kay é uma mulher divorciada e não quer ter novamente a experiência de uma homem em sua vida permanentemente. Kay é muito dedicada ao seu trabalho, muito tendo tempo para ela mesma.
O livro é muito bem detalhado, uma coisa bem legal foi a evolução dos métodos de investigação, em caparação com o que temos hoje. O livro foi lançado em 1990 naquela época era um pouco difícil de descobrir certas coisas, e percebemos o quanto evoluímos. Com tantos detalhes, tanto da vida pessoal e profissional, as vezes a leitura ficava arrastada, e em outras vezes, as coisas acontecem muito rápido que se não prestar atenção você acaba se perdendo. Os personagens são ótimos, cada um com sua personalidade forte, Marino é uma figura, mas muito inteligente, apesar da implicância de Kay com ele, ela não pode negar o quanto ele é dedicado no que faz. A história também deixa claro o preconceito dos homens quando uma mulher está a frente de algo.

Post Mortem é um livro bom, eu sou fã de livros policiais e quando li a sinopse desse livro fiquei louca para ler, a única coisa que me incomodou foi a leitura arrastada como disse antes. O final também me deixou um pouco decepcionada, esperava mais. Enfim, recomendo para quem gosta de livros do gênero e pretendo ler os outros livros da série Scarpetta.

About Maluca Por Livros

12 comentários:

  1. Olá, tudo bem ?
    Confesso que livros policiais não são o meu forte e posso contar em uma mão quantos já li e na maioria das vezes, se tratava de parceria rsrs.
    Achei interessante a narrativa ser feita por uma pessoa que não investiga, pelo menos não diretamente. Achei bem legal o fato do livro ser de 90 e ter como avaliar o quanto evoluímos.
    Beijos
    www.estilo-gisele.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Poxa, eu sou muuuuito fã da série Scarpetta da Cornwell. Eu vou ler o livro 9 esse mês. Temos um grupo de amigos que lê livros policiais, thrillers, investigativos. E a gente usa cada um uma personalidade famosa do meio. Eu sou a Kay. hehehhee Acho ela demais.
    Foi bom ler sobre o livro um... que há tanto tempo eu li. Deu saudades.
    Adorei encontrar algo conhecido aqui na sua resenha.

    Um beijo
    www.coisasdemineira.com

    ResponderExcluir
  3. Oi, tudo bem? Ai, sabe que na adolescência eu amava ler esse gênero, depois fui parando porque as tramas arrastadas me irritavam e eu acabava largando a leitura. Esse parece um bom livro, mas não leria justamente porque você disse que é arrastado. Mas gostei de saber sobre esse livro, pois não o conhecia, obrigada pela dica!

    Love, Nina.
    www.ninaeuma.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. Oii, tudo bem? Eu amo o gênero, mas leituras arrastadas me incomodam muito, fiquei com um certo receio sobre o final que citou, mas mesmo assim a curiosidade bateu aqui, vou anotar a dica para ler e tirar as minhas conclusões.
    Um beijo.

    ResponderExcluir
  5. Oiiieee

    Que pena que a leitura se tornou arrastada, isso incomoda bastante mesmo especialmente em thrillers policiais. Eu adoro quandoa s histórias são contadas do ponto de vista do legista, sou a louca por CSI e esse tipo de livro sempre me lembra da série. Não sei se leria esse livro porque tenho receio de acabar abandonando por causa da narrativa lenta, mas quem sabe um dia...

    Beijos,
    Alice

    www.derepentenoultimolivro.com

    ResponderExcluir
  6. Olá!

    Já li vários comentários positivos a respeito dessa autora.
    Livros de suspense policial se encaixa muito no que eu tenho lido ultimamente. Sobre a história ser no ponto de vista da médica-legista, isso é ótimo, li um livro assim do Donlea recentemente e adorei esse estilo, foge um pouco do padrão. Dica anotada!

    ResponderExcluir
  7. Olá, tudo bem?

    Livros policiais sempre me fazem suspirar e se bem feito, tem o poder me prender até o fim. Anotei a dica, parece ser um livro que com certeza adoraria.

    Beijos,
    Blog Diversamente

    ResponderExcluir
  8. Olá!
    Não conhecia essa autora mas adorei a proposta da trama. Como sou fã de enredos investigativos e um bom suspense policial já vou deixar salvo pra conhecer assim que puder.

    Camila de Moraes

    ResponderExcluir
  9. Oi!
    Sou fã de livros de mistério, suspense policial, triller e drama, esse me parece bem completo pena que se arrasta um pouco, mas mesmo assim me deu curiosidade em ler por ser detalhado assim como você comentou. Parabéns pela resenha, fiquei bastante empolgada em ler, obrigado pela dica. Bjs!

    ResponderExcluir
  10. Eu ainda não conhecia o livro e gosto muito do gênero, então eu acredito que daria uma chance à leitura. Gostei de ver sua opinião sobre a obra e a sua sinceridade ao falar como foi a leitura para você. Fiquei curiosa para ler também.

    ResponderExcluir
  11. Olá,
    Gosto bastante de thrillers, sempre tô lendo algum. Sobre a autora já li outro livro dela e lembro de ter gostado bastante, este parece realmente ser muito bom.

    Debyh
    Eu Insisto

    ResponderExcluir
  12. Oie, tudo bom?
    Cara, eu adoro livros assim! Sempre curti muito o trabalho de legistas e é difícil vê-los tendo destaque em séries e livros. Te recomendo a série Rizzoli and Isles, também de investigação, e com a dupla de investigadora E legista. Você vai curtir!

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.