Breaking News

#Resenha - A Procura de Audrey - Sophie Kinsella


A Procura de Audrey 
 Sophie Kinsella
Editora Galera 


     Quando me tronei uma leitora assídua, comecei a ler Sophie Kinsella, seus chick-lits, como o mais conhecido "Os Delírios de Consumo de Becky Bloom" me deixavam horas submersa nas aventuras mais loucas da personagem, e a cada livro da Sophie eu tornava fã das histórias divertidas das suas meninas, seus dramas, relacionamentos e comportamentos. Já tinha um tempinho que não lia nada da autora, e pegar "A Procura de Audrey" para ler foi uma surpresa maravilhosa, já estava com saudade de ler algo da Sophie, e sabia que a premissa desse livro era bem diferente dos seus outros livros, e  foi uma leitura muito satisfatória e hoje venho compartilhar um pouco sobre o que achei dessa leitura.  
    A Procura de Audrey, é um livro digamos mais maduro, onde vemos uma lado da Sophie séria, pelo menos eu vi assim. Audrey Tuner é uma jovem que sofreu algum tipo de Bullying na escola, não se tem os detalhes do que aconteceu na escola, mas fica subentendido. Com isso Audrey desenvolveu Transtornos de Ansiedade Social - Transtornos de ansiedade generalizada e episódios depressão, entendemos que foi algo bem sério. Audrey fica em casa, não se relaciona com mais ninguém além de sua família, seus pais e seus irmãos, Felix e Frank, que é o centro das paranoias da mãe. 
  Ao longo da leitura vamos conhecendo melhor a família Tuner, a mãe de Audrey é viciada no Daily Mail, um jornal que sempre trás pesquisas sobre comportamentos entre outras coisas, para Anne, se está no Daily Mail, então é a mais pura verdade e deve ser seguida a risca as dicas ali propostas. Quem está sofrendo atualmente com essa obsessão, é Frank,  jovem de 15 anos, que é viciado em jogos, precisamente no jogo Loc, e segundo o Daily Mail esses jovens precisam ocupar a mente com outras coisas que não jogos, o caçula Felix, de 4 anos é um amor, o pai, Chris é super tranquilo, mas as vezes é um banana diante das atitudes loucas da esposa, mas é um ótimo pai.
   Audrey estuda em casa até se encontrar pronta para ir para outra escola, acompanhamos suas idas a terapia, suas conversas com a sua médica, Dra. Sarah, e podemos perceber o quão é difícil lidar com a depressão, com o medo de se socializar novamente com as pessoas, de estar em lugares públicos com muitos barulhos, vemos tudo isso atrás da Audrey, que se fechou para o mundo e vive apenas no seu mundo escuro.

"O Problema é que a depressão não vem com sintomas práticos como pintinhas pelo corpo e febre, portanto não se percebe de primeira. Continua-se dizendo "estou bem" para as outras pessoa, ainda que não esteja. Você pensa que deveria estar bem. Segue repetindo para si mesmo: "por que não estou bem?"

   Frank está jogando Loc, para uma competição onde ganha um premio, e com isso conta com a ajuda do seu amigo o Linus, que vai começar a frequentar a sua casa, e isso é algo que ameaça o mundo de Audrey que tem dificuldades em se socializar novamente, se sentirá assustada com a presença de Linus em seu "lugar seguro",mas  uma amizade inesperada começa a nascer, Linus com seu jeito educado e atencioso, irá devagar, conquistando a amizade e confiança de Audrey e também a despertando para sentimentos que para ela não conseguiria mais sentir.


   As consultas com a Dra. Sarah, vão evoluindo, e a mesma pedi para Audrey fazer um documentário sobre sua família, entrevista-los e também começar a interagir com pessoas de fora.
   A Procura de Audrey, é um livro sobre Depressão, que para muitos ainda é visto como uma frescura, uma coisa boba, que a pessoa escolhe quando deve parar de "sentir" assim.  A Depressão gerou em Audrey fatores muito sérios, como medo de se socializar, medo de interagir com outras pessoas, fazendo com que ela fique no seu mundo escuro, só ela e a Tv. 
    Como já disse, nesse livro temos uma Sophie mas madura, com um assunto mais denso e mega importante, Sophie tenta nos mostrar através de Audrey, como funciona a cabeça de uma pessoa que está passando por esses Transtornos, e também conscientizar as pessoas de que não é uma frescura, de que o Bullying causa graves danos as pessoas, e que não é só uma brincadeirinha boba, não, se a pessoa não está gostando, simplesmente pare com a "brincadeira".   Destaque também para a família de Audrey, todos ali de alguma maneira estão prontos para ajuda-la, e com o roteiro do seu documentário, podemos conhecer a família em várias situações engraçadas, discussões, momento de lazer, conversas entre outras coisas. Mesmo com um assunto tão sério, Sophie manteve a história com um ar leve e personagens engraçados, como o irmão Frank e sua mãe Anne, os dois são bem engraçados e isso deixava as coisas mais leves.
   A leitura foi muito prazerosa, adorei ver esse lado mais maduro da Sophie, com um assunto bem sério e que foi tratado muito bem, os personagens foram bem desenvolvidos, as vezes me irritava com a mãe da Audrey, mas era o seu 
jeito obsessivo pelas pesquisas do jornal rsrs.. Ver os progressos de Audrey foi algo maravilhoso, e torço muito para que as pessoas que passem por isso consigo ajuda, consigam pessoas que estão dispostas a estarem ali ao lado, porque não é fácil. 
   Li esse livro no Kindle, é uma leitura rápida, mas eu demorei mesmo, devido a outras coisas. Super recomendo a leitura, se você ainda não conhece a escrita da Sophie Kinsella comece por esse livro, você vai gostar. Me contem se já leram e o que acharam da história. Obrigada pela visita gente! Beijos


11 comentários:

  1. Gosto muito desses livros com esses temas polêmicos. O bullying está cada vez mais presente na vida das pessoas, o que acarreta muitas consequências ruins. Esse livro me interessou muito pelo tema família também. Valeu pela dica.

    Gustavo
    http://www.leituraenigmatica.com

    ResponderExcluir
  2. Nossa, bastante interessante! 👏🏼 Já quero ler esse livro, vou adiciona-lo a minha lista! Adorei o post 💗

    ResponderExcluir
  3. Ah, que bacana! E toca na depressão que é um problema importante do mundo atual. Li uma matéria sobre o mal do século que não é mais o suicídio, mas a Normose: Ato de achar tudo muito normal... Tema importante de ser tratado esse. Considero importante a leitura não só da resenha, mas do próprio livro!

    ResponderExcluir
  4. Que interessante! Gosto deste estilo de livro, que aborda o bullying, a depressão ... que são assuntos que merecem toda atenção do mundo, pois não são frescuras ! São problemas reais !

    ResponderExcluir
  5. Acho tão importante a abordagem da depressão na literatura, que venham mais livros focados nesse tema. O bullying infelizmente pode trazer consequências graves no futuro das pessoas que passam por esse tipo de violência psicológica.

    ResponderExcluir
  6. Olá, ainda não li o livro, mas admiro histórias q contam o sufoco e a luta de quem sofre depressão, como vc mesmo disse, ainda existe muito preconceito em torno dessa doença e quando vejo literatura q tratam deste tema, eu acho muito positivo! abraço!

    ResponderExcluir
  7. Acho muito interessante livros que abordam o tema depressão,pois é dessa forma que algumas pessoas tem acesso ao assunto. Só quem já passou por isso sabe.

    ResponderExcluir
  8. Olá, adorei o Delírios de consumo, mas esse ainda não li, mas gostei muito da premissa e sua resenha me fez ficar curiosa, gosto de livros com leituras rápidas, tem momentos que esse tipo de leitura é o ideal, anotada a dica! Bjs

    ResponderExcluir
  9. Olá
    Que interessante, sempre quis ler algo da autora, estava pensando em começar pela Becky Bloon, mas vendo sua resenha acho que vou começar por esse, principalmente por causa do tema depressão

    ResponderExcluir
  10. Oiii flor, eu ainda não conheço essa história mas amo a Becky Bloom então eu tenho certeza que essa obra vai me encantar tanto quanto encantou você.
    Muito obrigada pela dica! :)

    ResponderExcluir
  11. Cara, os livros da Sophie são sempre incríveis pra mim, meu favorito é o Fiquei com seu número, ainda não li esse, entretanto, sei que deve ser show.

    ResponderExcluir